Agrícola

Um resumo das principais notícias agrícolas do País

Notícias agrícolas: informações mais relevantes e impactantes no agronegócio 

Segundo dados do MAPA, o valor das exportações do agronegócio brasileiro atingiu novo recorde nominal em 2022, somando US$ 159 bilhões, alta de 32% em relação a 2021 e de 60% em relação a 2020. Esse destaque entre as notícias agrícolas foi resultado do crescimento dos preços internacionais e do aumento nos volumes embarcados, conforme dados do Insper. 

Apesar da histórica e expressiva representatividade do agronegócio no PIB do Brasil, gestores e produtores precisam se manter atentos às tendências e desafios do setor e às oportunidades e aos riscos que rodeiam o dia a dia do negócios, seja com relação a operação, propriedade, plantação ou conservação e bom uso dos equipamentos. 

A seguir, você vai encontrar um resumo de importantes notícias agrícolas que estão em destaque no cenário do agronegócio. São informações que podem ser úteis tanto para você tomar decisões no seu empreendimento quanto para iniciar e/ ou aprofundar reflexões sobre os assuntos. Boa leitura! 

Umidade nas lavouras preocupa o mercado  

Em junho de 2023, a Emater estimou que seriam colhidas mais de 4,5 milhões de toneladas de trigo no Rio Grande do Sul. Entre as notícias agrícolas do País é possível confirmar que a empresa previu que essa seria a segunda maior safra da história do Estado. Mas as bruscas variações climáticas na região comprometeram as previsões. 

As fortes chuvas no Rio Grande do Sul têm levado às plantações da região uma perigosa combinação entre umidade e dias sem sol, o que propicia o desenvolvimento de doenças fúngicas, além do acamamento de plantas e de lama na plantação. As perdas e possibilidades de recuperação são dados a serem medidos no final do ciclo de produção. 

Em entrevista ao Canal Rural, o analista político e econômico Miguel Daoud fez o seguinte alerta: “O produtor de trigo, hoje, tem que ficar muito atento ao [competitivo] cenário internacional e à possibilidade de um ajuste de preço que nós teremos. E isso acaba, evidentemente, prejudicando a rentabilidade do produtor”. Veja abaixo a entrevista. 

Volume de chuva afeta região Sul do País 

Perda de 50% das lavouras. Esse foi o prejuízo de alguns produtores de cebola da cidade de São José do Norte (RS), divulgado entre os destaques das notícias agrícolas do Brasil. A situação se deu devido ao aumento significativo das chuvas na região sul do País causado pelo fenômeno El Niño: cerca de 400 mm na primeira quinzena de setembro.  

O levantamento é da equipe Hortifruti/ Cepea, que apurou que, antes de ser surpreendida pela instabilidade climática, a cidade de São José do Norte comemorava ótimos resultados de produtividade e de rentabilidade da safra 2022/23. Para a temporada 2023/24, porém, há previsão de queda de 20% na produção, como consequência do mau tempo. 

Especialistas do portal Clima Tempo explicam que, em alguns casos, as instabilidades climáticas são causadas por uma acentuada queda de pressão atmosférica, que se traduz em frente fria e/ou ciclone extratropical. O produtor precisa se manter atento às tendências da agricultura moderna, para se aliar às boas práticas e mitigar os contratempos. 

 Comunicação e marketing no agronegócio 

O setor do agronegócio sabe se comunicar. Possui uma grande estrutura com emissoras, programas de rádio e TV, revistas e portais especializados. Porém, a informação também precisa ir para fora da porteira e chegar às novas gerações. Essa é a avaliação de Ricardo Nicodemos, presidente da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agro (ABMRA). 

Nessa jornada de promoção da marca, de produtos e serviços, é fundamental que os gestores rurais contem com o apoio de especialistas. E que esses profissionais tracem um plano customizado para o negócio em questão, considerando atrair, encantar e fidelizar não apenas clientes e parceiros, mas também fornecedores, colaboradores e investidores. 

O projeto pode ser potencializado com publicidade e ações de relações com a mídia e com influenciadores, conteúdo estratégico, inbound marketing e presença da marca em redes sociais. Tudo para evidenciar os valores da empresa e a qualidade e as vantagens de produtos e serviços, além de combater a desinformação sobre as notícias agrícolas. 

 Influenza aviária no Espírito Santo 

Em junho de 2023, o Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) confirmou o primeiro foco do vírus da influenza aviária de alta patogenicidade (IAAP-H5N1) em aves domésticas de subsistência, um destaque das notícias agrícolas. O contágio aconteceu no Espírito Santo, em uma criação formada por patos, gansos, marrecos e galinhas. 

Vale destacar que, de acordo com informações do MAPA, a entrada desse vírus no Brasil foi identificada no dia 15 de maio de 2023 e, desde então, os indicadores do vírus vêm sendo mapeados em todo o Brasil. Até 27 de setembro, foram realizadas 1923 investigações e 502 coletas de amostras, com 109 resultados laboratoriais positivos. 

Os especialistas do MAPA alertam que os humanos devem evitar o contato direto, sem proteção adequada, com aves domésticas ou silvestres doentes, vivas ou mortas. Além disso, todas as suspeitas de IAAP e identificação de mortalidade alta e súbita e crises respiratórias e neurológicas nos animais devem ser notificadas aos órgãos competentes. 

 Aumento de temperatura e impacto nas plantações 

No Brasil, o futuro da produção de feijão está comprometido em decorrência das mudanças climáticas que têm se apresentado. Essa é a avaliação da Embrapa, que, em sua análise, ainda destaca que a previsão é que, em meados de 2050, a elevação de temperatura do ar esteja entre 1,23º C e 2,86º C na área de produção desse grão. 

O dado é um alerta aos produtores rurais do País. Afinal, mudanças climáticas estão sempre em pauta entre as notícias agrícolas e são o maior risco para o agronegócio e o principal fator das perdas de produtividade no campo, conforme dados de estudo da Ernst & Young, considerando a percepção de executivos do Brasil, da Argentina e do Chile.  

O relatório da EY aponta, ainda, que essa inconstância climática, além de deixar a lavoura mais suscetível a pragas e causar a queda do volume e da qualidade da produtividade, impacta, também, no encarecimento do financiamento de insumos. Os estragos, em geral, são causados por escassez ou excesso de chuva, geadas e alagamentos. 

 Projeto de Coleta e Análise de Fertilizantes 

Em uma iniciativa da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), está em ação mais uma edição do Projeto de Coleta e Análise de Fertilizantes. O objetivo dessa iniciativa de destaque entre as notícias agrícolas é agregar mais segurança ao produtor rural tanto com relação à qualidade dos fertilizantes quanto dos produtos da safra. 

De acordo com dados do Portal O Presente Rural, os processos do projeto são acompanhados por técnicos do Núcleo de Agronegócio da Aiba. Esses profissionais coletam amostras para estudo nas principais microrregiões produtoras e o material é encaminhado aos laboratórios credenciados pelo Mapa, em Luís Eduardo Magalhães. 

O produtor associado à Aiba que esteja interessado em participar do projeto deve entrar em contato com a Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia. Nesse contato, ele receberá orientações sobre os procedimentos de recebimento e armazenamento do produto para que as coletas tenham validade. 

 Plantação de soja não consegue cobrir custos 

Das 27 regiões do Brasil, apenas três conseguiram cobrir o custo total da produção de soja na safra 2022/23, o que se caracteriza como outro importante ponto de atenção entre as notícias agrícolas. As cidades que alcançaram esse êxito são: Luís Eduardo Magalhães, na Bahia, Campo Florido, em Minas Gerais, e Maracaju, no Mato Grosso do Sul.  

Um dos fatores responsáveis por esse cenário desafiador é o Custo Operacional Efetivo (COE) médio da produção de soja, que subiu 33% na última temporada, em comparação com o ciclo anterior. Vale, ainda, destacar nesse cenário a alta de quatro insumos: fertilizantes (57%), defensivos (39%), sementes tratadas (13%) e mecanização (11%). 

O preço do feijão teve maior depreciação em três estados do País: Rio Grande do Sul (-23%), Paraná (-21%) e Mato Grosso do Sul (-14%). Os preocupantes dados são do Projeto Campo Futuro, iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e foram divulgados pelo Canal Rural. 

 É no equilíbrio entre risco e responsabilidade que está a proteção do produtor e gestor rural 

Como você pode ver, a instabilidade climática, que às vezes se instala sem aviso prévio, tem causado muitos prejuízos e muitas dores de cabeça para o produtor e gestor rural. Mais do que nunca esses profissionais precisam de apoio para retomar a tranquilidade, poder tomar as melhores decisões e seguir construindo uma história de sucesso.  

Empreender ou liderar um negócio, porém, são iniciativas que exigem eficiente gestão de risco, porque imprevistos sempre acontecem. É preciso dedicação e expertise para entender o todo da organização, identificar os pontos de vulnerabilidade da operação. 

Então, encontra-se as melhores soluções para proteger as atividades agrícolas. Afinal, é no equilíbrio entre risco e responsabilidade que os líderes de negócios ao redor do mundo têm encontrado um ambiente mais favorável para focar no crescimento, inovação e competitividade da companhia.  

E nós contamos com soluções que contribuem para que o produtor rural possa seguir em frente com segurança, minimizando a probabilidade de perdas frente aos imprevistos.  

Para saber mais sobre as nossas soluções em seguros agrícolas, acesse a nossa página Sompo Agro. 

Compartilhe:

WhatsAppLinkedInFacebookEmailCopy Link
Artigos

Relacionados

Identifique riscos empresariais e proteja seu negócio

Saiba mais

Evite prejuízos com a falha funcional de equipamentos

Saiba mais

Vantagens e benefícios do Seguro Responsabilidade Civil Obras e Riscos de Engenharia

Saiba mais

Fale com a Sompo

Estamos aqui para tirar todas as suas dúvidas.