Segmento de carros vive momento positivo

Caio Zinet

O mercado de seguros de automóveis apresentou crescimento no faturamento e queda expressiva na taxa de sinistralidade na comparação entre os quatro primeiros meses desse ano na comparação com o mesmo período do ano passado. O faturamento da com seguros de automóveis foi de R$9,09 bilhões no primeiro quadrimestre de 2013, crescimento de 25,3% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em 2011, o faturamento foi de R$6,5bilhões, segundo dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

A sinistralidade do segmento também apresentou melhora nos últimos anos. No primeiro quadrimestre desse ano, o índice médio do mercado foi de 61,9%, queda de 5,4% na comparação com os primeiros meses do ano passado, quando a taxa foi de 67,3%. Para as seguradoras, um dos elementos que ajudou a impulsionar o mercado de seguro de autos foi a desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a indústria de automóveis. “Todo movimento que auxilie o mercado automotivo terá reflexo no mercado de seguro de autos. As vendas de autos e comerciais leves tiveram um crescimento de quase 8% nesse primeiro trimestre e isso é positivo para a área de Seguros”, afirmou o diretor executivo da Marítima Seguros, Mario Jorge Pereira.

“Vale observar que, cada vez mais, há mais veículos segurados e, por isso, o índice de crescimento dos seguros de autos é bem acima do volume de veículos vendidos. Ainda temos margem para crescer, já que somente cerca de 15% da frota brasileira é segurada”, completou.

Menos sinistros

Sobre a sinistralidade, as seguradoras consideram o índice para automóveis bastante altos na comparação com o resto do mercado de seguros e tem buscado estratégias para reduzir a taxa, que mostra a relação entre prêmios pagos pelos clientes e recursos destinados para sinistros.

“Os índices de sinistros de automóveis são altos e nos faz buscar alternativas para minimizarmos a situação. Uma dessas alternativas é disponibilizar o serviço de rastreamento de veículos. Os rastreadores ajudam na recuperação do veículo após o roubo ou furto. Tanto é que o índice de recuperação para veículos sem rastreadores é de 45%. Já com rastreadores, esse índice sobe para 75%. Ao optar por incluir o rastreador no contrato de seguro do veículo o segurado recebe descontos”, afirmou o executivo da Marítima Seguros.

As empresas do ramo veem um espaço para manter o nível de crescimento para o final do ano, mesmo em um cenário turbulento na economia. “A expectativa de crescimento para o mercado de seguros de forma geral é grande. Só no primeiro trimestre o mercado de seguro de auto cresceu cerca de 25% em relação ao mesmo período de 2012. A produção de veículos no Brasil cresceu 17% acima do mesmo período no ano passado, o que é muito bom para o mercado de seguros, principalmente se considerarmos que tem sido um início de ano difícil para a economia brasileira, com aumento da taxa de juros, retração do consumo, aumento do endividamento do consumidor e a competitividade com os outros players do mercado”, afirmou o diretor de automóveis da SulAmérica, Eduardo Dal Ri.

FONTE: DCI

LINK: http://www.dci.com.br/financas/segmento-de-carros-vive-momento-positivo-id351914.html

DCI b 0620