Alta direção quer programa curto e muito networking

Presidentes e vice-presidentes de empresas têm pouco tempo para freqüentar cursos com formatos tradicionais. Para especialistas, os executivos mais graduados preferem programas curtos, como seminários e fóruns, que discutem tendências e cases de gestão. Além de buscar conteúdo sobre liderança e gerenciamento de pessoas, o primeiro escalão também procura melhorar o networking na sala de aula, com colegas em posições de liderança equivalentes. Nas escolas de negócios, há treinamentos específicos para a alta direção, como ‘futuring’ e visão estratégica.

O presidente da Marítima Seguros, Francisco CaiubyVidigal Filho, de 41 anos, concluiu no ano passado o CEO FGV, curso de aprimoramento empresarial da Fundação Getúlio Vargas voltado para presidentes, vice-presidentes, diretores e superintendentes. O programa tem módulos sobre estratégia, mudança e inovação; ambiente econômico, político e social e liderança. Cada um dura cinco dias, em regime de imersão, com intervalos de quatro meses. “O ambiente de negócios e de relações interpessoais esta mais sofisticado a cada dia, e as novas ferramentas de gestão que auxiliam no processo decisório fazem toda a diferença.”

Além disso, a troca de experiências com outros executivos que participam dos encontros é enriquecedora, conforme o presidente. “Participar de um curso traz efeitos imediatos para o profissional, que ficará atento sobre como usar os novos dados no trabalho”, diz. “É como se acontecesse uma ‘oxigenação’ das idéias.”

Para o professor Joel Dutra, coordenador do programa de pósMBA da Fundação Instituto de Administração (FIA), além do contato em sala de aula, os executivos do topo da pirâmide procuram conteúdos de educação continuada, com uma visão estratégica dos negócios. Na escola, o curso rápido mais procurado pela alta direção é um pós-MBA, dividido em seminários e fóruns, com duração de 18 a 36 meses. Há opção de participar fora do formato regular, somente em um ou alguns eventos do programa. O custo por evento custa, em média, RS 1,1 mil.

“A idéia é fazer uma análise da aplicação dos modelos de gestão,com ênfase no estudo de casos”, diz Dutra. Para garantir a matrícula, é preciso ter MBA, mestrado, doutorado ou perfil compatível adquirido por meio de experiência, com pelo menos cinco anos em cargos de gerência ou direção.

No Insper, uma das novidades é o curso futuring, de planejamento de cenários futuros, lançado este ano. “É importante combinar a visão de longo prazo com reações imediatas, necessárias para a gestão dos negócios”, explica Rodrigo Amantea, coordenador acadêmico de educação executiva. “Trabalhamos com uma abordagem prática. Os alunos constróem um cenário no curso e levam a metodologia para as suas organizações.”

O curso tem 19 horas presenciais e oferece novas turmas em 2014. Custa a partir de R$ 3,9 mil. Em breve, o Insper vai lançar um novo treinamento sobre liderança e um programa para executivos sêniores, em parceria com a escola de administração francesa Insead.

Segundo Adriana Arroio, gestora de educação executiva da Trevisan Escola de Negócios, temas como planejamento estratégico atraem os alunos. Uma das opções procuradas é o gerenciamento de tributos que impactam na atividade empresarial. O curso dura cinco meses e matrículas abertas para a turma de fevereiro de 2014. Custa a partir de R$ 4,5 mil.

Na Nextar, da área de gestão de imagem e coaching, o programa compacto mais disputado é o communicate charisma, que ajuda o executivo na comunicação com o público. “Desenvolvemos uma forma de mapear como cada pessoa pode afetar as outras quando se comunica”, garante a CEO Fernanda de Carvalho.

Para Fernanda, se o aluno quer convencer o conselho de administração da empresa que deve investir em um projeto, precisa demonstrar autoconfiança, sem parecer arrogante. “Se deseja que a equipe embarque em um projeto, deve trabalhar melhor a colaboração e a emparia”, compara.

O curso foi em 2012. Para participar, o candidato faz avaliação on-line e, depois, as aulas são desenhadas de acordo com as necessidades. Pode ser feito em até três sessões de duas horas ou em dois dias. As próximas turmas acontecem no primeiro trimestre de 2014. Custa a partir de R$ 600.

FONTE: Valor Econômico

Valor 112210